Brasil Império

Brasil Império

Período Joanino

1808 - 1821

Além de órgãos administrativos, D. João VI criou:
-A Escola Médico-Cirúrgica da Bahia
-A Escola Cirúrgica, Anatômica e Médica do RJ
-A Academia Real de Belas-Artes
-A Academia Real Militar
-O Arquivo Militar
-A Biblioteca Real
-O curso de ciências econômicas
-Imprensa Régia
-O Teatro Real de São João
-Jardim Botânico
-Banco do Brasil

Com o começo do Período Joanino, termina-se o pacto colonial.

Abertura dos portos às nações amigas

01/28/1808

-Assinada pelo príncipe regente, D. João.
-Encerrou a era colonial
-Instaurou no país o livre comércio
-Contribuiu para acelerar o processo de emancipação política no Brasil

-Portugal pagaria 16% de taxas alfandegárias e, os outros países, 24%.
-Tais taxas financiavam a implantação da administração na nova sede do reino.

Revogação do Alvará de 1785

04/01/1808

-Dona Maria I liberou o estabelecimento de indústrias e manufaturas no Brasil.
-Não atingiu seus objetivos pois dava liberdade industrial, mas não condições para o desenvolvimento de indústrias. Faltava capital e um mercado consumidor interno mais amplo.
-Sem proteção alfandegária, seria impossível competir com os produtos britânicos.
-As exportações de máquinas para o Brasil eram dificultadas pela Inglaterra porque, para ela, não interessava produtores concorrentes e sim mercados consumidores.

Brasil controlando a Guiana Francesa

1809 - 1817

-D. João VI, com apoio militar britânico, ordenou a invasão da Guiana Francesa.
-Em 1817, o território foi devolvido para a França por determinação do Congresso de Viena.

Domínio do Brasil sobre a Província Cisplatina

1811 - 1825

-Era um desejo português de estender as fronteiras brasileiras até o rio da Prata
-Em 1811, as tropas luso-brasileiras dominaram Montevidéu
-Em 1825, a região conquista independência e ganha o nome de Uruguai.

Brasil foi elevado à categoria de "Reino Unido a Portugal e Algarves"

02/1815

-Legitimava a permanência de D. João, agora D. João VI, no Brasil.
-Foi apoiada pelos participantes do Congresso de Viena

Desembarque da Missão Artística Francesa

1816

-Tinha o objetivo de retratar o Brasil na arte.
-Teve participação do grande pintor Jean-Baptiste Debret

Insurreição Pernambucana

1817

Regência de D. Pedro

1821 - 09/14/1822

-Promoveu liberdade de imprensa
-Época em que o desejo de independência se tornou massificado.

-Para forçar D. Pedro a voltar para Portugal, as Cortes portuguesas faziam decretos como estes:
-Unificação dos exércitos português e brasileiro
-Nomeação de um governador das armas, obediente a ordens diretas de Portugal, para cada província brasileira
-Extinção das repartições públicas e dos tribunais criados no período joanino no RJ
-criação de um imposto alfandegário adicional

-Grupos conservadores e liberais, mais as camadas populares, formaram o Partido Brasileiro que lutava pela independência.

Retorno de D. João VI a Portugal

1821

Dia do Fico

01/09/1822

-O regente recebeu uma petição com 8 mil assinaturas, pedindo a permanência no Brasil.
-Após a leitura, o príncipe regente respondeu: "Como é para o bem geral da nação, estou pronto, diga ao povo que fico".

-Como reação, tropas portuguesas revoltadas ocuparam o morro do Castelo, exigindo que D. Pedro voltasse à Portugal.
-Os brasileiros reagiram a isso energicamente, mandando as tropas lusas de volta à Lisboa.

D. Pedro torna-se Defensor Perpétuo do Brasil

05/1822

-D. Pedro aceita o título de Defensor Perpétuo do Brasil, oferecido pela maçonaria e pelo Senado da Câmara do Rio de Janeiro.

Decreto do Cumpra-se

05/1822

-D. Pedro assinou tal decreto.
-Decretava-se que só vigorariam no Brasil as leis portuguesas que recebessem o "cumpra-se" do regente.

D. Pedro convoca uma assembleia constituinte e legislativa

06/1822

Tropas portuguesas tornam-se inimigas

08/1822

-D. Pedro considera inimigas as tropas portuguesas que desembarcassem no Brasil.

Independência do Brasil

09/07/1822

-D. Pedro recebera uma carta de Dona Leopoldina, sua esposa, escrita: "O pomo está maduro, colhei-o já, senão apodrece". Tal carta estimulava D. Pedro a fazer a independência.
-O príncipe recebeu a carta em São Paulo, às margens do riacho Ipiranga.
-Ao mesmo tempo, foram entregues os últimos decretos de Lisboa, transformando-o num simples governador, submisso às decisões das Cortes.
-Indignado com as ordens e estimulado pela carta de sua esposa, teria dito: "É tempo... Independência ou morte... Estamos separados de Portugal".

-A declaração da independência não provocou mudanças profundas na estrutura social do país, que passou de dependência econômica com relação à Portugal à subordinação à Inglaterra.

D. Pedro - Imperador Constitucional

09/14/1822

-D. Pedro chega ao Rio de Janeiro, sendo aclamado imperador constitucional.

D. Pedro recebe a coroa

12/1822

-D. Pedro recebe a coroa e torna-se D. Pedro I, primeiro imperador do Brasil.

Mundo

Tratado de Methuen

1703

-Abre os portos portugueses aos manufaturados ingleses, em troca de vinho lusitano.
-Ampliou a dependência econômica de Portugal em relação aos ingleses

Bloqueio Continental

1806

-Decretado pelo imperador francês Napoleão Bonaparte.
-Proibiu os países europeus de comerciarem com os ingleses.
-Pretendia sufocar economicamente a Inglaterra, já que a França não havia conseguido conquistá-la militarmente.

Convenção Secreta

09/1807

-Iorde Strangford, embaixador inglês, forçou Portugal a assinar essa "Convenção Secreta".
-Portugal assinou
-Ficaram acertados:

-A transferência da sede da monarquia portuguesa para o Brasil;
-A entrega da esquadra portuguesa à Inglaterra
-A entrega da ilha de Madeira aos ingleses, que teriam aí um ponto estratégico na luta contra os franceses
-a concessão de um porto livre para os ingleses, de preferência em Santa Catarina
-A assinatura de novos tratados comerciais com a Inglaterra, logo após a transferência da Corte.

Isso acima foi a Convenção Secreta

Por outro lado, Portugal era pressionado por Napoleão a fechar seus portos aos ingleses, expulsasse o embaixador inglês de Portugal e confiscasse os bens dos súditos britânicos.

Fuga da família real

09/1807

-Em Lisboa, chegavam notícias de tropas francesas no norte.
-A Corte entrou em pânico e todos os nobres queriam fugir.
-Foi uma tremenda bagunça.

-As tropas francesas estava composta de 1200 homens cansados, sem cavalaria, artilharia, munições, sapatos ou alimentos, ou seja, sem condições de lutar.

-A fuga da família real possibilitou uma vitória pra Inglaterra contra França.

Tratado de Fontainebleau

09/1807

-Assinado por França e Espanha
-Objetivava invadir Portugal e dividir as colônias entre si

Tratado de Comércio e Navegação

1810

A Inglaterra estabelecia sobre Portugal:
-nomeação de juízes ingleses para julgar os súditos britânicos que viviam no Brasil
-liberdade religiosa para os ingleses (em geral, protestantes anglicanos)
-cobrança de taxa de 15% na importação de mercadorias inglesas, taxa mais baixa que os 16% cobrados das portuguesas;
-um porto livre - o de Santa Catarina

Tratado de Aliança e Amizade

1810

-Proibia a Santa Inquisição no Brasil
-Proibia a gradual extinção do tráfico negreiro para a colônia

Este tratado, junto com o Tratado do Comércio e Navegação consolidavam o domínio inglês.

Derrota de Napoleão Bonaparte

1815

-Napoleão foi derrotado definitivamente.
-Com isso, havia condições para o retorno da família real de Portugal à Europa, mas ela insistiu em permanecer no Brasil

Revolução Liberal do Porto

1820

-Em Portugal, a situação estava ruim porque a regência portuguesa do militar inglês lorde Beresford era tirânico.
-Agravava-se a situação econômica e havia descontentamento popular: déficit das finanças públicas, decadência do comércio, fome e miséria.
-Tais fatores, junto com as ideias liberais, resultaram na Revolução.

-Os objetivos dos revolucionários (liderados pela burguesia comercial do Porto) eram a constitucionalização do país, a expulsão de Beresford e o retorno de D. João VI.
-Exigia o retorno do pacto colonial.
-D. João VI deixou o Brasil e, por meio de decreto, entregou a regência do Brasil a seu filho D. Pedro.