Evolução do conceito de Design e surgimento de sua relação com a Ecologia

Esta linha do tempo pretende estudar a evolução do conceito de Design e o surgimento de sua relação com a ecologia (green design, ecodesign, design sustentável), apontando alguns acontecimentos históricos (desde a Revolução Industrial) que podem ter influenciado nestes conceitos.

Definições de Design

Oxford Dictionary

1588

Design é um plano desenvolvido pelo homem ou um esquema que possa ser realizado; o primeiro projeto gráfico de uma obra de arte; ou um objeto das artes aplicadas ou que seja útil para a construção de outras obras (BÜRDEK, 2006, p. 13).

International Council of Societies of Industrial Design

1959

Um designer industrial é aquele qualificado por treino, conhecimento técnico, experiência e sensibilidade visual para determinar os materiais, mecanismos, forma, cor, acabamento de superfície e decoração de objetos que são reproduzidos em quantidade por processos industriais. O designer industrial pode, em diferentes momentos, preocupar-se com todos ou somente alguns desses aspectos de um objeto produzido industrialmente. O designer industrial pode também preocupar-se com os problemas de embalagem, publicidade, exposição e marketing quando a resolução destes problemas requer apreciação visual, além de conhecimento técnico e experiência. O designer de indústrias baseadas em artesanato, onde processos manuais são usados para a produção, é considerado um designer industrial quando os trabalhos que são produzidos para os seus desenhos ou modelos têm uma natureza comercial, são feitos em lotes ou em quantidade, e não são trabalhos pessoais do artesão” (ICSID, 2012).

International Council of Societies of Industrial Design

1960

A função de um designer industrial é dar .forma a objetos e serviços que tornam a conduta da vida humana eficiente e satisfatória. A esfera da atividade de um designer industrial no presente abrange praticamente qualquer tipo de artefato humano, especialmente aqueles que são produzidos em massa e mecanicamente (ICSID, 2012).

Tomas Maldonado

1961

Design é uma atividade projetual que determina as propriedades formais dos objetos a serem produzidos industrialmente. Por propriedades formais não entende-se somente as características exteriores, mas, sobretudo, as relações estruturais e funcionais que dão coerência a um objeto tanto do ponto de vista do produtor quanto do usuário (MALDONADO, 1961).

Bonsiepe

1975

Desenho industrial é uma atividade profissional no amplo campo da inovação tecnológica. Se preocupa com questões de uso, função, produção, mercado, lucro, benefícios e qualidade estética dos produtos industriais (BONSIEPE, 1975).

Löbach

1976

Design industrial: processo de adaptação dos produtos de uso, fabricados industrialmente, às necessidades físicas e psíquicas dos usuários ou grupos de usuários (LÖBACH, 2001, p. 22).

Redig

1977

Desenho industrial é o equacionamento simultâneo de fatores ergonômicos, perceptivos, antropológicos, tecnológicos, econômicos e ecológicos no projeto de elementos e estruturas necessárias à vida, ao bem estar e/ou à cultura do homem (REDIG, 1977).

Bonsiepe

1983

Design é a tentativa de conjugar a satisfação do cliente com o lucro da empresa, combinando de maneira inovadora os cinco principais componentes do design: performance, qualidade, durabilidade, aparência e custo (BONSIEPE, 1983).

Ecological Design Association

1989

Ecodesign: o design de materiais e produtos, projetos e sistemas de ambientes comunitários que são amigáveis às espécies vivas e à ecologia planetária. (EDA, 1990).

Bonsiepe

1992

O design é uma atividade especializada de caráter técnico-científico, criativo e artístico, com vistas à concepção e desenvolvimento de projetos de objetos e mensagens visuais que equacionem sistematicamente dados ergonômicos, tecnológicos, econômicos, sociais, culturais e estéticos, que atendam concretamente às necessidades humanas (BONSIEPE, 1992).

Buchanan

1992

Design é uma atividade projetual de criação, recriação e avaliação de objetos, presente no cotidiano das pessoas, assumindo diversas formas e operando em diferentes níveis. O campo de atuação do Design é potencialmente universal, porque a teoria de projeto pode ser aplicada a qualquer área da experiência humana (BUCHANAN, 1992).

Papanek

1995

O design preocupa-se com o desenvolvimento de produtos, utensílios, máquinas, artefatos e outros dispositivos, e esta atividade exerce uma influência profunda e direta sobre a ecologia. A resposta do design deve ser positiva e unificadora; deve ser a ponte entre as necessidades humanas, a cultura e a ecologia (PAPANEK, 1995, p. 31).

Peneda e Frazão

1995

Ecodesign é a concepção dos produtos com integração da dimensão ambiente, orientando no seu todo o processo de design (PENEDA;FRAZÃO, 1995).

Fiksel

1996

Ecodesign é um conjunto de práticas de projeto orientadas à criação de produtos e processos ecoeficientes, tendo respeito aos objetivos ambientais , de saúde e de segurança, durante todo o ciclo de vida destes produtos ou processos (FIKSEL, 1996).

Manzini e Vezzoli

2002

O papel do design industrial pode ser sintetizado como a atividade que, ligando o tecnicamente possível com o ecologicamente necessário, faz nascer novas propostas que sejam social e culturalmente apreciáveis”. Não se aplica somente a um produto físico, (definido por material, forma e função) mas que se estende ao sistema-produto (MANZINI; VEZZOLI, 2002, p. 21).

Manzini e Vezzoli

2002

O Ecodesign considera o meio ambiente com o mesmo grau de importância que a eficiência, a estética, o custo, a ergonomia e a funcionalidade (MANZINI; VEZZZOLI, 2002).

Füad-Luke

2004

Ecodesign é um processo de design que considera os impactos ambientais associados a um produto em toda sua vida, desde a aquisição dos materiais naturais até a produção, fabricação, uso e fim do ciclo de vida. Ao mesmo tempo em que reduz os impactos ambientais, o ecodesign visa melhorar os aspectos estéticos e funcionais dos produtos com a devida consideração às necessidades sociais e éticas (FÜAD-LUKE, 2004, p. 339).

Thackara

2005

No passado, design se referia à forma e à função das coisas. No mundo de hoje, extremamente conectado em rede, faz mais sentido pensar no design como um processo que continuamente define as regras de um sistema ao invés de seus resultados (THACKARA, 2005, p. 272).

Van Der Linden

2010

Design é uma atividade projetual que intervém na realidade, afetando a vida em sociedade e o meio-ambiente, voltada para a construção do futuro, articuladora de saberes científicos, tecnológicos e artísticos (VAN DER LINDEN, 2010, p. 30).

International Council of Societies of Industrial Design

2012

Design é uma atividade criativa cujo objetivo é estabelecer as qualidades multifacetadas dos objetos, processos, serviços e seus sistemas em todos os ciclos de vida. Portanto, design é o fator central da humanização inovadora de tecnologias e o fator crucial de mudanças culturais e econômicas.

Cardoso

2012

Pode-se dizer que o design é um campo essencialmente híbrido que opera junção entre corpo e informação, entre artefato, usuário e sistema. Com a crescente importância da imaterialidade e dos ambientes virtuais em nossas vidas, a fronteira entre esses dois aspectos do design – conformação e informação – tende a ficar cada vez mais borrada (CARDOSO, 2012, p. 236).

Eventos históricos

Revolução Industrial

1780 - 1830

Grande Exibição

1851

Foi inaugurado o Palácio de Cristal em virtude da Grande Exibição (The Great Exhibition of all Nations).

Liceu de Artes e Ofícios

1856

Criação, no Brasil, do Liceu de Artes e Ofícios. Pode ser considerado o início do ensino de design no país.

Ateliê Morris, Marshall, Faukner & Co.

1861

William Morris cria o ateliê Morris, Marshall, Faukner & Co., que prega o desenvolvimento de produtos de boa qualidade.

Linha de montagem

1913

Henry Ford introduz a primeira linha de montagem de automóveis.

1ª Guerra Mundial

1914 - 1918

Bauhaus

1919 - 1933

Primeira escola de Design do mundo, fundada por Walter Gropius, na Alemanha.

Obsolescência planejada

1920

Incia-se a aplicação da estratégia da obsolescência planejada para impulsionar o consumo.

Crise de 1929 (craque da Bolsa)

1929

Streamline

1930

Em 1930, surge o conceito de streamline, que emprega formas dinâmicas.

Pionners of Modern Design: from William Morris to Walter Gropius

1936

Nikolaus Pevsner publica o livro "Pionners of Modern Design: from William Morris to Walter Gropius".

2º Guerra Mundial

1939 - 1945

ONU

1945

Fundação da Organização das Nações Unidas (ONU).

Termo Design Industrial

1948

Mart Stam utiliza o termo Design Industrial pela primeira vez.

International Union for Conservation of Nature

1948

Fundada uma das primeiras organizações mundias de proteção à natureza, a International Union for Conservation of Nature (IUCN), em Washington.

Dymaxion

1950

Buckminster Fuller defende o conceito de Dymaxion - fazer mais com menos.

Museu de Arte Moderna - RJ

1952

Inauguração do Museu de Arte Moderna, no Rio de Janeiro.

Ulm School of Design

1953 - 1968

Em 1953, foi fundada por Inge Aicher-Scholl, Otl Aicher e Max Bill, a Escola de Design da Ulm (Hochschule für Gestaltung Ulm) em Ulm, na Alemanha.

Fundação ICSID

1957

É fundado, em Londres, o International Council of Societies of Industrial Design.

Escola Técnica de Criação

1958

Surge a Escola Técnica de Criação, no Rio de Janeiro.

Fundação da WWF

1961

Fundação da WWF (World Wide Fund for Nature) por um grupo de cientistas da Suíça.

The Waste Makers

1961

O escritor Vance Packard lança o livro "The Waste Makers".

Tin Can Radio

1962

Victor Papanek trabalha em Bali, em um projeto da UNESCO, e projeta um receptor de rádio a partir de uma lata usada - o Tin Can Radio.

Fundação da ESDI

1962

Em 1962, é fundada a Escola Superior de Desenho Industrial, no Rio de Janeiro, considerada a primeira instituição a oferecer o curso de design de nível superior no Brasil.

Heineke Wobo

1963

John Habraken desenha para a cervejaria Heineken as garrafas Wobo (world bottle), que servem como "tijolos" após o consumo.

Clube de Roma

1968

Criação do Clube de Roma, pelo industrial italiano Aurelio Peccei e pelo cientista escocês Alexander King.

Pensamento ecológico

1968

Surge, com mais força, o pensamento ecológico.

Linha de brinquedos de Gui Bonsiepe

1969

Neste ano, Gui Bonsiepe desenvolve uma linha de brinquedos a partir de retalhos de madeira, de uma fábrica de vassouras.

Homem pisa na Lua

1969

Armstrong e Aldrin pisam na Lua, e é registrada a primeira imagem da Terra vista do espaço.

Friends of the Earth

1969

É fundada a organização internacional "Friends of the Earth"

Símbolo da reciclagem

1970

Gary Anderson, estudante de design com 23 anos, desenha um símbolo inspirado no Anel de Moebius, que ganha um concurso e transforma-se no símbolo da reciclagem.

Ministério do Meio Ambiente

1970

Criação do primeiro Ministério do Meio Ambiente em Baviera, na Alemanha.

Recursos naturais

1970

O consumo humano de recursos naturais começa a ultrapassar as capacidades biológicas da Terra.

Greenpeace

1971

Fundação da ONG Greenpeace, no Canadá. Sua história começou quando um grupo de ecologistas, jornalistas e hippies zarparam do porto de Vancouver, rumo ao Ártico, para impedir testes nucleares.

Limits of the Growth

1971

O Clube de Roma publica o livro "The Limits of Growth".

Design for the Real World

1971

Victor Papanek, designer austríaco, publica o livro "Design for the Real World".

Conferência Estocolmo

1972

1ª Conferência sobre o meio ambiente, em Estocolmo, na Suécia, onde nasceu o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.

Crise do petróleo

1973

1ª crise do petróleo (concretização econômica dos limites dos recursos ambientais e necessidade de diversificar-se as fontes energéticas mundiais).

"des-in"

1974

Concurso do Centro Internacional de Design de Berlim, "des-in". Primeiras tentativas de design para reciclagem.

1º selo ecológico

1978

Surge, na Alemanha, o primeiro selo ecológico, o "Anjo Azul" (German Blue Angel), para designar os produtos ambientalmente corretos.

Ron Arad

1980

Ron Arad cria, em Londres, uma poltrona feita de bancos de automóveis.

CMMAD

1983

Surge a Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento.

Manifesto Verde

1985

Manifesto Verde, de Ignácio de Loyola Brandão.

Acidente nuclear

1986

Explosão de um reator nuclear na usina de Chernobil, na Ucrânia.

The Green Designer

1986

Em 1986, o Design Council organizou em Londres a exibição chamada "The Green Designer", juntamente com Paul Burall e John Elkington.

"Nosso Futuro Comum"

1987

Publicação do relatório Nosso Futuro Comum (Our Common Future), também conhecido como relatório Brundtland, pela Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento.

Protocolo de Montreal

1987

Assinatura do Protocolo de Montreal (que começa a vigorar em 1999).

The Green Consumer Guide

1988

John Elkington e Julia Hailes publicam o livro "The Green Consumer Guide".

Revista "EcoDesign"

1989

Surge o periódico "EcoDesign", da Ecological Design Association.

Green Design: Beyond the Bandwagon

1990

Organizada pelo Design Museum, a conferência "Green Design: Beyond the Bandwagon" reflete a intenção de um ecodesign genuíno.

EcoDesign Foundation

1990

Criação da EcoDesign Foundation, em Sydney (Austrália), por Tony Fry e Ann-Marie Willis.

Internet

1990

Surgiu a World Wide Web (WWW), inicialmente usada apenas por cientistas. Posteriormente, uniram-se universidades, escolas e empresas, convertendo-se no fenômeno atual.

Ministério do Meio Ambiente no Brasil

1992

Criado o Ministério do Meio Ambiente no Brasil e a Divisão para o Desenvolvimento Sustentável da ONU.

ECO 92

1992

Ocorre a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (CNUMAD, UNCED em inglês), conhecida também como ECO-92, Rio-92, no Rio de Janeiro, que publica a Agenda 21.

The Greening of Design

1992

Conferência realizada pela Design Research Society, em Manchester.

Normatização ISO

1993

Organização Internacional para Normatização (ISO) cria um conjunto de normas com foco no meio ambiente: ISO 9.000 e ISO 14.000.

The Green Imperative

1995

Victor Papanek lança o livro "The Green Imperative: Ecology and Ethics in Design and Architecture".

Protocolo de Kyoto

1997

Assinatura do protocolo de Kyoto, que entrou em vigor em 2005.

O Desenvolvimento de Produtos Sustentáveis

1998

Ezio Manzini e Carlo Vezzoli lançam, na Itália, o livro intitulado "O Desenvolvimento de Produtos Sustentáveis: os requisitos ambientais dos produtos industriais".

Rio +10

2002

Dez anos após a ECO-92, a ONU realizou a Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável em Joanesburgo (África do Sul), a chamada Rio+10.