Pré-Golpe

Events

Eleição Quadros - Goulart

3 outubro 1960

Foi eleito presidente em 3 de outubro de 1960, pela coligação PTN-PDC-UDN-PR-PL, para o mandato de 1961 a 1965, com 5,6 milhões de votos - a maior votação até então obtida no Brasil - vencendo o marechal Henrique Lott de forma arrasadora, por mais de dois milhões de votos. Porém não conseguiu eleger o candidato a vice-presidente de sua chapa, Milton Campos (naquela época votava-se separadamente para presidente e vice). Quem se elegeu para vice-presidente foi João Goulart, do Partido Trabalhista Brasileiro.

Jânio Quadros

31 janeiro 1961 - 25 agosto 1961

Condecoração Che Guevara

19 ago 1961

Jânio condecorou, no dia 19 de agosto de 1961, com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul[8][9] Ernesto Che Guevara, o guerrilheiro argentino que fora um dos líderes da revolução cubana - e era ministro daquele país - em agradecimento por Guevara ter atendido a seu apelo e libertado mais de vinte sacerdotes presos em Cuba, que estavam condenados ao fuzilamento, exilando-os na Espanha.

Aprovação Parlamentarismo

2 set 1961

Emenda Constitucional nº 4 (Ato Adicional) - aprovada por 233 contra 55

João Goulart

7 set 1961 - march 31 1964

Gabinete Tancredo Neves

08 set 1961 - 12 jul 1962

Gabinete de Brochado da Rocha

12 jul 1962 - 18 set 1962

Gabinete Brochado da Rocha (12.07.1962 a 18.09.1962) - http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/ministerios/brochado_da_rocha

Gabinete Hermes Lima

18 set 1962 - 24 jan 1963

Gabinete Hermes Lima (18.09.1962 a 24.01.1963) - http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/ministerios/hermes_lima

Eleições 1962

out 1962

avanço da esquerda (Brizola, Arraes, etc)

Plebiscito Presidencialismo

6 jan 1963

Pesquisa IBOPE

jun 1963

apoio à reforma agrária, mesmo entre as camadas mais ricas

Pedido de Sitio

out 1963

Convençoes PTB e PSD

20 mar 1964

Extrema Direita

Fundação do IBAD

mai 1959

Instituto Brasileiro de Ação Democrática (IBAD) foi uma organização (think tank) anticomunista fundada em maio de 1959, por Ivan Hasslocher. Ao lado dele, vários empresários – tais como Gilbert Huber Jr., Glycon de Paiva e Paulo Ayres Filho – fariam parte dessa organização

"Lacerda: só comunistas apoiam a política externa"

24 agosto 1961

Jornal do Brasil (1ª página)

Fundação de novos movimentos anticomunistas

set 1961

criados logo após a posse de Jango: Liga Feminina AC, União Feminina AC, Centro Cívico do Brasil, Voluntários da Pátria para a defesa do Brasil Cristão, Liga Cristã contra o comunismo, Resistência Democrática dos Trabalhadores Livres, Cruzada Cristã AC, Centro Brasileiro da Europa Livre, Patrulha da Democracia. Nas universidades: Grupo de Ação Patriótica, Movimento Anticomunista MAC, Comando de Caça aos Comunistas CCC

Fundação IPES

29 nov 1961

O Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (IPES), fundado em 29 de novembro de 1961 por Augusto Trajano de Azevedo Antunes (ligado à Caemi) e Antônio Gallotti (ligado à Light),[1][2] foi um dos principais conspiradores contra o presidente João Goulart, participando ativamente das articulações que culminaram no Golpe Militar de 1964.
Pouco após a sua fundação, em 29 de novembro de 1961, o IPES passou a ser dirigido pelo general Golbery do Couto e Silva
Políticos, empresários, jornalistas, intelectuais e grupos de donas-de-casa, estudantes e trabalhadores militavam sob a orientação ideológica da cúpula do IPES/IBAD.

A base de apoio, direta ou indireta, incluiu sobretudo os políticos da UDN e de setores do PSD. Empresários como Walther Moreira Salles, Mário Henrique Simonsen, Augusto Frederico Schmidt, também poeta, Alceu Amoroso Lima, também escritor e pensador católico, entre tantos outros, militavem pelo IPES, que tentou cooptar para o movimento escritores como Rachel de Queiroz, Fernando Sabino e Rubem Fonseca, que chegou a fazer roteiros para os documentários do IPES. O elenco de apoio ia desde o general Jurandir de Bizarria Mamede, que em 1955 fez um discurso violento contra a vitória de Juscelino Kubitschek durante o enterro do general Canrobert da Costa, até o então apenas empresário Paulo Maluf, que mais tarde tornaria famoso como político brasileiro.

Fundação ADEP

mar 1962

entrevista Carlos Lacerda

1 out 1963

Dissolução IBAD e ADEP

20 dez 1963

Mensagem ao Povo - empresários

11 março 1964

Manifesto Almirantes

29 mar 1964

Requisição intervenção Lyndon Johnson

30 mar 1964

Início golpe

31 mar 1964

Esquerda Positiva

Disputa governo MG

1958

Sua ascensão no interior do partido o alçou à disputa pelo governo de Minas Gerais, como candidato a vice-governador na chapa encabeçada por Tancredo Neves do PSD.36

A chapa Tancredo Neves-San Tiago Dantas saiu derrotado pelo candidato udenista Magalhães Pinto.

Em documento de apresentação para a disputa do cargo, San Tiago passou a se
apresentar para o eleitorado como alguém que combinava o papel do intelectual e do
político, como um homem de ideias e ações, e mais importante como um homem capaz
de transformar suas ideias em ações. Buscando atrair o apoio dos políticos e o voto do
eleitor mineiro do PSD, definiu-se como “o trabalhista mais amigo do PSD” e
“trabalhista e também conservador, representando o pensamento mais moderado do
trabalhismo”.37 Para os petebistas, apresentou-se como “um dos homens mais
identificados com Jango”, de quem era amigo e fiel aliado. Além disso, de forma
bastante significativa, depois de associar seu nome com o de Jango – presidente do
partido, vice-presidente da República e herdeiro político de Getúlio Vargas -
identificou-se como “o continuador de Pasqualini”, principal ideólogo, já falecido, do
PTB.38

(ONOFRE)

Deputado Federal PTB MG

1959 - dez 1962

XI Convenção PTB

mai 1959

Não é fortuito, portanto, que ocorra em 1959, após a XI Convenção, a integração de San Tiago Dantas ao grupo que compõe a Executiva Nacional do partido, na qualidade de um de seus quatro vicepresidentes. Desde que se filiara ao PTB, San Tiago tivera atuação destacada, principalmente no que se referia à ... (GOMES, 1994)

A CISÃO DA FRAÇÃO FERRARISTA (1959-1960): http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/article/viewFile/9002/6453

Após a XI Convenção do
partido, em 1959, integrado como um membro da Executiva Nacional, foi encarregado
de coordenar a aliança das forças nacionalistas e populares visando o embate
presidencial.39
O PTB, encontrado por San Tiago, era um partido extremamente centralizado e
hierarquizado. Segundo Maria Celina D’ Araujo (1996), comparado ao PSD e à UDN, o
PTB possuía um centralismo gritante. Na UDN, a Convenção Nacional era composta
pelos representantes do partido no Congresso Nacional, por delegados dos diretórios
municipais (na razão de um para cada 5 mil votos obtidos pelo partido nas eleições
federais) e também por um delegado de cada departamento especializado do partido. Já
os pessedistas, chegavam a reunir entre 2 a 3 mil pessoas em suas convenções,
incluindo parlamentares, governadores, entre outros membros do partido. No partido
trabalhista, o número de correligionários nunca ultrapassou 50. Nascido com a marca do
personalismo de Vargas, o partido não conseguiu instituir mecanismos de participação
democrática em seu interior. A formação de correntes oposicionistas ou de lideranças
dissidentes era esmagada pelo Diretório Nacional. Essa estrutura antidemocrática, da
qual participou e contribuiu para fortalecer, foi, a meu ver, uma contradição não
superada pelo trabalhismo de San Tiago Dantas. A minha hipótese é a de que esta
ambiguidade pode ser explicada pela relação dele como o grupo político janguista,
O fortalecimento do grupo janguista aflorou a oposição interna. A
Convenção foi marcada pela radicalização do grupo liderado por Fernando Ferrari,
teórico do trabalhismo e maior adversário à liderança de Jango. À disputa pelo controle
do partido somava-se a luta pelo apelo ideológico do trabalhismo, tanto interna como
externamente. Formulador do programa partidário na VIII Convenção (1955) e X
Convenção (1957), Ferrari acirrou a disputa com o grupo janguista, principalmente, na
seção gaúcha, setor mais forte do partido (Gomes, 1994). Na batalha pelo controle da
máquina partidária e da orientação programática, San Tiago Dantas, reconhecido
intelectual, tornava-se uma peça-chave para o grupo de Goulart, dedicando-se à
formulação teórica do trabalhismo, bem como à reorganização do partido a nível
nacional. (ONOFRE)

Especulação para disputar eleições presidenciais

1960

Com grande projeção na mídia e no Congresso, não foram inesperadas as
especulações sobre seu nome para a sucessão presidencial de 1960, como candidato a vice-presidente. Imediatamente negado por San Tiago, que reafirmou sua lealdade à Jango, descrito como “insubstituível, herdeiro de Vargas”40, as especulações demonstravam, no entanto, o crescimento meteórico do político de Minas no cenário nacional. (ONOFRE) (Fundo San Tiago Dantas (Arquivo Nacional. AP 47. Caixa 06. Pacotilha 3).)

STD nomeado para ONU

22 ago 1961

Nomeado pelo presidente Jânio Quadros embaixador do Brasil na ONU em 22 de agosto de 1961, não chegou a assumir o cargo em virtude da renúncia de Quadros, três dias depois.

Redação EC n4

27 ago 1961 - 31 ago 1961

por um grupo de políticos do PSD e do PTB. Ver relato de Afonso Arinos (p. 44): entre 20 e 30 pessoas, no Senado, redação de STD e Arinos

alteração do projeto de autoria do deputado federal pelo RS Raul Pilla, fundador e líder do Partido Libertador

Durante os dias de grave crise institucional atravessados pelo país, San Tiago, junto com Afonso Arinos de Melo Franco, Nestor Duarte, Luís Vianna Filho, Nélson Carneiro e Guilhermino de Oliveira, entre outros, ficou encarregado de redigir um projeto, aprovado pelo Congresso em 2 de setembro, para solucionar a crise. (ONOFRE)

MRE

11 set 1961 - 25 jun 1962

Conferencia Desarmamento Genebra

mar 1962

STD MRE

Indicação para Prim Ministro

16 jun 1962

“Indicação tranqüila de San Tiago e renúncia tranquila de Tancredo”, Jornal do Brasil, 16-17 de junho. 1962, p.3. (ONOFRE)

A investida de Jango instalou a crise do regime. No discurso, ele se declarou disposto a recuperar seus plenos poderes presidenciais. Diante dessa posição, o gabinete liderado por Tancredo Neves não teve mais condições de se manter no poder e seria desfeito no dia 26 de junho.

Para substituir Tancredo Neves, San Tiago Dantas, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), viu seu nome tornar-se o mais cogitado. Lembrado pelas esquerdas por ter defendido a política externa de Jânio Quadros e a autodeterminação de Cuba na OEA, tinha o apoio dos trabalhadores, intelectuais e estudantes e era um dos principais nomes do partido.

Ainda no mês de junho, o Pacto de Unidade e Ação (PUA) — organização intersindical que reunia marítimos, ferroviários, portuários e estivadores — reunir-se-iam nas escadarias do palácio Tiradentes, no Rio de Janeiro, para defender a nomeação de San Tiago Dantas. Diante dessa e de outras mobilizações, João Goulart indicaria Dantas ao Congresso Nacional para assumir a chefia do governo.

Nos bastidores, porém, San Tiago Dantas trabalhava contra sua própria indicação: prezando a democracia e a negociação política, sabia que, caso assumisse o gabinete, acabaria contribuindo para sua manutenção, o que desagradaria às forças populares que defendiam sua nomeação.

Na ocasião, Dantas concedeu uma entrevista às redes de televisão e rádio, deixando clara a sua posição: “Temos que realizar em nosso país, como em todos os países subdesenvolvidos que têm nossas características políticas, uma autêntica revolução democrática. Esta revolução é que nos salvará de uma revolução extremista e antidemocrática”.

Seu nome acabaria vetado pela UDN e pelo PSD no Congresso. Jango então indicaria para o cargo o conservador Auro de Moura Andrade, então presidente do Senado.

Discurso para Primeiro Ministro

27 jun 1962

Um dia depois de se afastar do ministério, a renúncia de Tancredo Neves,
tornou-o o candidato natural para assumir o cargo.44
Em discurso no Congresso Nacional, em 27 de junho de 1962, traçou um plano
de governo afinado com os interesses pesseditas. O ex-chanceler sabia que precisava
granjear o apoio do maior partido e, por isso, afirmava, em tom de convencimento das
forças conservadoras:
O sucesso da “política externa
independente” atraiu a simpatia dos setores nacionalistas e de esquerda que lhe deram
intenso apoio. As centrais sindicais ameaçaram entrar em greve caso seu nome não
fosse aceito (Figueiredo, 1993).
A finalidade desse programa de reformas, que pouco a pouco ganhou a consciência do
nosso país, longe de ser, como a incompreensão de alguns pode supor, a de estimular uma
reivindicação desordenada, nada mais é do que o de despertar os homens públicos, as
classes dirigentes, aqueles que têm responsabilidade no setor público e no setor privado
para uma série de ações eficientes, enérgicas e ordenadas que possam assegurar à Nação a
paz, a tranqüilidade e um enriquecimento equilibrado.45

STD reeleito deputado

out 1962

Plano Trienal

24 jan 1963 - abril 1963

implodido em maio por JG

Min Fazenda

24 jan 1963 - jun 1963

reforma ministerial por Goulart e doença de STD (sai CF tbm)

Visita EUA/FMI

mar 1963

Proposta Frente Progressista

janeiro 1964

publicado em: novos rumos n257 24 a 30 de janeiro 1964, p. 8 (hemeroteca só tem até 1963)

Frente Prog pelas Reformas

jan 1964

Grupo Agressivos do PSD apoiam FP

23 fev 1964

Correio da Manhã, 23 fev 64, p.1; livro: p. 237

Rompimento PSD

9 março 1964

Telefonema STD

31 mar 1964

informe de apoio dos EUA, informado por Arinos

Testamento político STD

11 set 1964

Jornal do Brasil, 11 set 1964 - NOTA PRÉVIA SOBRE O REAGRUPAMENTO DAS FORÇAS POLÍTICAS BRASILEIRAS

Cinco dias após sua morte, ocorrida em 6 de setembro de 1964, o Jornal do Brasil
publicou, o que foi chamado, o testamento político de San Tiago Dantas. Após
consultas com líderes partidários de diversos partidos, a exemplo de Afonso Arinos,
José Maria Alkimin, Pedro Aleixo, Amaral Peixoto, Bilac Pinto e Renato Archer,
Dantas elaborou um documento com a intenção de transformá-lo em uma bandeira de
reforma política e partidária. O documento intitulava-se “Nota prévia sobre o
reagrupamento das forças políticas brasileiras, em 1964”, e começava com um
prognóstico sobre o novo regime: “A presente situação do país pode evoluir no sentido
do restabelecimento da legalidade democrática em toda sua amplitude, ou de um reforço
da autoridade militar”. Para evitar o segundo desenvolvimento, defendia a união das
forças políticas em um “esforço comum de revisão das estruturas partidárias” em uma
“aliança das forças políticas em que se integrem não os partidos, mas os homens
públicos independentemente do partido a que pertencem, com ou sem desvinculação dos
quadros deste.” Para ele, o primeiro objetivo dessa aliança seria:
a defesa de um programa de reformas, dentro de uma conciliação histórica e institucional
com o regime democrático representativo. Quer quanto à reforma agrária, que repercute
de maneira direta na estrutura social, quer quanto a reformas, técnicas e administrativas
como a bancária, a tributária e a do Serviço Público, quer quanto a reformas de natureza
política como a constitucional e a eleitoral54. (ONOFRE)

Esquerda Negativa

Rede da Legalidade

27 ago 1961

Fundação do CGT

19 ago 1962

aproximação PCB-PTB

Organização intersindical de trabalhadores, de âmbito nacional, não reconhecida pelo Ministério do Trabalho, criada durante o IV Congresso Sindical Nacional dos Trabalhadores realizado em São Paulo em agosto de 1962, com o objetivo de orientar, coordenar e dirigir o movimento sindical brasileiro.

Desarticulou-se devido à repressão desencadeada pelo movimento político-militar de 31 de março de 1964, que ocasionou a prisão de seus líderes, a intervenção nos órgãos sindicais oficiais filiados e a extinção de todas as demais organizações intersindicais. http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-tematico/comando-geral-dos-trabalhadores-cgt

Eleições

out 1962

Brizola, Arraes, Ildo Meneghetti - avanço das esquerdas

Fundação FMP

dez 1962

data precisa?

episódio de Dianópolis

4 dez 1962

A Voz da Libertação do Povo Bras

maio 1963

pronunciamentos diários de Brizola no rádio. Até quando? qual foi o conteúdo? terceiro-mundismo? qual foi o alcance?

Rebelião dos Sargentos

set 1963

nota M Arraes sobre FPRB

18 janeiro 1964

novos rumos n257 24 a 30 de janeiro 1964, p 3

nota FMP sobre FPRB

18 janeiro 1964

novos rumos n257 24 a 30 de janeiro 1964, p. 3

nota PCB sobre FPRB

18 jan 1964

novos rumos n257 24 a 30 de janeiro 1964, p. 8

posição final PCB sobre FPRB

mar 1964

novos rumos n262 6 a 12 de março 1964, p3

Comício da Central

13 março 1964

Mensagem ao CN

15 março 1964

Frente Popular

23 mar 1964

Rebelião dos Marinheiros

23 mar 1964

Evento Automóvel Clube

30 mar 1964

Declaração ao povo JG

1 abril 1964

e viagem à RGS

Política Internacional

Condecoração Che

19 ago 1961

Reatamento relações URSS

nov 1961

Punta Del Este

jan 1962

Conferência do Desarmamento em Genebra

mar 1962