Áurea Carolina

Events

Nascimento

1983

Nasce na cidade de Tucuruí, Pará, onde os pais trabalharam na construção da Usina Hidrelétrica de Tucuruí

Volta para BH

1986

Voltam para Belo Horizonte (a família dela é toda de Minas – por parte de mãe na RMBH e por parte de pai em Paracatú.) Se criaram no bairro João Pinheiro

Entrada no CEFET

1999

"A entrada no Cefet foi determinante porque ali comecei a conhecer pessoas de vários lugares – até da região metropolitana ( gente de Ibirité, Sarzedo, Nova Lima) –. E lá existia um movimento político estudantil que, embora não me atraísse muito, trazia uma provocação política. E, coisa de adolescente, de descoberta, gosto pela música..."
É lá, também, em que tem a apresentação de um grupo de rap numa semana de poesia no Cefet. Um grupo de rappers foi fazer uma apresentação e ela ficou encantada. Posteriormente, se tornaram os "parceiros" dela, ela entrou para o grupo que se chama Dejavu e eles criaram um laço muito forte (ela fez parte desse grupo de 2002 até 2009)

Envolvimento com o movimento Hip Hop

2000

"Eu fui me perceber como uma mulher negra só depois que me envolvi com o hip hop, já na adolescência, com 16 ou 17 anos. Me interessei por rap, grafite, pixação..."

Entra no curso Ciências Sociais na UFMG

2002

Entrada no Observatório da Juventude

2004

Ficou sabendo do processo seletivo através de uma mulher que participava do movimento do hip hop.
"É marcante porque passo a ter um envolvimento permanente e efetivo no debate de direitos de juventude".

"Entro pra valer num debate estratégico, institucional, de incidência política em relação ao estado. Uma passagem que faço do hip hop como vivência de rua para essa preocupação com o institucional"

Ajuda a fundar o Fórum das Juventudes da Grande BH

2004

Não só como bolsista do observatório, mas como ativista de destaque do coletivo Hip Hop Chama – espaço que ela ajudou a construir desde 2003.

Graduação em Ciências Sociais

2008

Forma defendendo uma monografia sobre Presença das Mulheres Jovens no Plano Nacional de Política para Mulheres

Vai para Brasília

2008

Foi para acompanhar o parceiro (Saulo), que ela tinha conhecido fora de Belo Horizonte. Em 2008 é quando ela perde o pai, também. sentiu-se saturada de BH. Deixou de cantar rap, deixou o Cargo de Conselheira Municipal da Juventude, saiu do Fórum das Juventudes.

Vai para Barcelona

2010

Tenta bolsa da Fundação Carolina e consegue. Fez uma especialização sobre Gênero e Igualdade. Formação com mulheres feministas da Catalunha e regiões da América Latina.

Volta de Barcelona

2011

Consegue vaga na Associação Imagem Comunitária

2011

Depois que volta para o Brasil, fica poucos dias em Brasília, consegue o empresa na AIC e volta para Belo Horizonte.

Entra no mestrado em Ciências Políticas

2013 - 2015

Ampliando os limites do Estado: conflito e cooperação entre agentes estatais e da sociedade civil na luta por inclusão das mulheres jovens na agenda governamental.

Secretaria Executiva do Fórum das Juventudes

2015

Ao mesmo tempo que articula a candidatura com as reuniões da CQQ, trabalha novamente no Fórum.

Ingressa na Subsecretaria de Políticas para Mulheres

2015

Tinha uma relação próxima com as gerações que foram ocupando a secretaria de juventude, exceto a primeira (do Beto Curi) . A secretaria Severine Macedo era do Forum Cone Sul de Mulheres Jovens Políticas (do qual a Áurea da havia participado) – ou seja, ela tinha uma relação próxima com esse grupo apesar de nunca ter sido filiada a nenhuma partido antes do PSOL.

Convidada do Nilmário Miranda..

"Percebi que não teria condições de trabalho ali, não conseguiria articular políticas públicas"

"Fui confrontada com muitas limitações e não tinha uma sustentação para conseguir promover meu trabalho. Preferi pedir exoneração"

Ela também queria colocar mais energia na Cidade que Queremos.

Muitas pela Cidade que Queremos

2015

Nasce como um experimento: "precisamos ocupar as eleicões"

Foco na campanha

2016

Depois que saiu da secretaria executiva do fórum, passa a se dedicar exclusivamente à campanha para se tornar vereadora pelo PSOL (ligada ao coletivo Muitas pelas Cidade que Queremos)